Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

terça-feira, 15 de julho de 2008

Ao fim de quase uma semana, a saudade bateu por fim.
Bateu nesta porta agora fechada, não entreaberta, fechada por mim, fechada pelo teu querer. Mas bateu, bateu muito, agressivamente, de uma forma estranha, diferente da então já muito minha conhecida.
Bateu!
Não abri a porta, não a abrirei…
Fica aí fora saudade, não te quero mais aninhada no meu patamar, nem mais te deixarei subir ao meu primeiro andar.
Podes pernoitar aí no tapete de entrada, durante mil e uma noite, o tempo que dura os meus sonhos, podes dormir dias a fim e acordar no meio da madrugada para de novo bateres com os teus pulsos firmes e fortes.
Não abrirei a porta…
Chorarei baixinho para que ninguém me ouça, encostarei o ouvida do lado de cá da madeira de carvalho castanho, e murmurarei…
Vai saudade, vai…
…não te canses, não vale a pena, eu já estou cansada, casada de sonhar, cansada de olhar e não te ver, cansada de te ouvir bater.
Cansada de sentir e não o querer.
Cansada de te ter tido e não te ter.
Vai saudade, deixa a minha porta….

5 comentários:

Edu disse...

O que é a vida sem saudade?
Ah o sentir tão bom. Deixa o ficar.
E Abre lhe a porta de sorriso na cara.
Mas não a feches a novas brisas.
A saudade é boa. Não interessa quem a causa mas sim o que ela é para nós cá dentro.
JA senti saudades de mim. Sinto saudades de ser menino,mas gosto da saudade que tenho agora tambem.
bjinho

Esmeralda disse...

Edu:
Eu abro a porta, sim abro a porta. Não a abro é às saudades que sinto pela pessoa que amo.
Não vale a pena...

Edu disse...

Quem sabe um dia abras com outro olhar...
Ah e não me leves a serio em conselhos sou apenas o superunknown

Esmeralda disse...

Com outro olhar?
Duvido, até porque nunca mais o irei ver...

Livremente disse...

As vezes é bom sentir saudade a pouco tempo li num blog que á quem não consiga ter saudades por isso é bom sentir saudades por mais dor que ela nos cause..

Gostei do teu Blog claro virei mais vezes..