Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

terça-feira, 30 de setembro de 2008

E porque hoje me sinto em baixo…
Numa fase de transformações onde a cabeça dá lugar a um grande funil, onde as ideias, momentos, fases, toda uma vida se afunila numa única palavra no plural…
…mudanças.
A tristeza, de origem nómada encontrou por fim um lar, a minha vida, o meu eu.
E porque hoje me sinto em baixo, esperando noticias e soluções que teimam em chegar que demoram a vir mantendo-me por um lado parada no tempo e por outro a correr sem parar, apetecia-me…
…apetecia-me tanto…
Um olá teu!
Um sorriso teu!
Uma gargalhada tua!
E se mais me pudesses dar…
Um abraço teu!
Um beijo teu!
Jurei não mais te escrever, mas tantas juras fiz por ti, quebrando-as no instante seguinte…
Jurei nunca mais te escrever, mas a saudade é mais que muita, transborda-me do peito, o tempo passa e eu não te consigo esquecer.
Um dia disseste-me que ias gostar de mim para sempre, ri-me, disse-te que o para sempre era impossível, agora, aquela que lavada em lágrimas se riu de ti, chora por ti lágrimas de saudade, lágrimas de amor, lágrimas de paixão.
E porque hoje me sinto em baixo, a ausência de ti magoa-me como nunca, o saber que nunca mais te irei ver deixa-me desesperada, então fecho os olhos, lembro o pouco mas muito que vivemos, relembro-te em cada traço do meu ser, em cada laço do meu querer, e isto porque te quero demais.
E assim aninhada nos meus pensamentos, murmuro uma vontade, não a vontade de querer, essa já tu sabes. Num murmúrio apenas deixo escapar a vontade que ultimamente guardei em mim…
…quero ter um filho teu, quero que sejas o pai do meu filho.

BEIJO

10 comentários:

quem tudo sabe disse...

Se eu te conhecesse diria que estás a falar daquela pessoa à beira Rio, e não é Tejo.

Esmeralda disse...

quem tudo sabe:

As vezes nem tudo sabemos, as vezes nem todos conhecemos, as vezes...

Como eu, nem tudo sei, por exemplo, não sei quem és!!!

Edu disse...

Tu .... nao tens juizo nenhum.
Em vez de andares ai a espalhar a palavra do senhor. andas a escrever estas coisas....uopa toca a cantar
Põe tua mão na mão do meu Senhor da Galiléia
Põe tua mão na mão do meu Senhor
Que acalma o mar
Meu Jesus que cuida de mim
Noite e dia sem cessar
Põe tua mão na mão do meu Senhor
Que acalma o mar
Pedro quase afogou no mar da Galiléia

poetaeusou . . . disse...

*
murmurantes quereres,
e fruto pedido . . .
,
brisas de outono, deixo,
,
*

As Sombras de Fim do Dia disse...

Ui, texto forte, amor intenso!

Esmeralda disse...

Poeta:

São apenas quereres, sonhos jamais atigindos.

beijocas

Esmeralda disse...

As sombras do fim do dia:

Um amor intenso, verdade, mas um amor jamais possivel...

:(

Multiolhares disse...

Não se pede desculpa pelo amor, pois é o sentimento mais sublime que existe,
mas amar também significa abrir mão, deixar o ser amado ser feliz, sei que estas palavras te podem até magoar, mas não é isso que quero, mas simplesmente te
Tentar mostrar que uma união feliz tens de ser a dois, tens de deixar partir para te poderes encontrar para a tua vida ter sentido, para te sentires novamente importante,
Não és uma coisa , és um ser humano sensível cheia de sentimentos, mas tens de abrir a janela da vida para veres o mundo lá fora
Beijinhos ternos

Esmeralda disse...

Multiolhares:
Que te leva a crer que não abri mão do ser amado? Que não o deixei ou deixo voar?
Foi isso que fiz. Aliás não o fiz porque nunca houve um amor a dois, a dói houve somente um molhe de mentiras de um para o outro e não vice-versa.
Apesar de o amar, nunca fechei a minha janela, essa de que me falas, porque apesar de sentir o que sinto, que é grande tão grande que não controlo o que digo, escrevo e penso, soube sempre que nunca seriamos uns, que nunca viveríamos um amor a dois.
Com muita pena minha…
Mas parece que sabes mais do que aquilo que aqui escrevo…

Multiolhares disse...

Minha querida este comentário era para o poste de cima, o que pedes desculpa, este estive a ler e achei-o tão profundo se sentimentos que li sem comentar, ao colocar , o comentário errei o poste, desculpa.
O que sei é o que escreves, mas sinto muita dor na tua alma,
E penso que enquanto não te conseguires libertar muita dor vai estar no teu coração,
E dói-me sentir que existe sofrimento nos seres que povoam a terra, sendo virtuais ou não, somos da mesma forma pessoas

beijinhos