Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

As escolhas são sempre complicadas, difíceis e muitas das vezes erradas. No meu caso, sempre, ou, quase sempre.
Escolhi um dia, não há muitos dias, há uns tempos atrás, alguém a quem contar o que nunca contara, a quem contar o que me sufocava e quase me matava. Escolhi alguém que me conhecia, não tão bem assim, mas que me conhecia, e apesar de me conhecer, já não me via, já não me ouvia, apenas lia.
Escolhi-o…
…e como em todas as minhas escolhas, exigi mais do que a conta, absorvi mais do que podia, usei e abusei não de um ombro apenas mas de dois, transformei-o num ombro.
Uma escolha que não tinha direito de fazer, uma escolha que não deveria ter acontecido.
E porquê?
Porque o que me sufocava era meu, apenas meu, porque o que me matava era um veneno meu, apenas meu, porque o que contei deveria de ter continuado trancado dentro de mim, apenas dentro de mim.
Tornei-me inesperadamente, inexplicavelmente forte, não, voltei a recuperar a minha mágica força, e agora…
…e agora não mais “abusarei” de ombro algum, não mais invadirei espaço nenhum, não mais espalharei partículas de mim por aí.
Agora que voltei a mim, continuarei assim…
…eu, apenas eu!
Soube-me bem aquele desabafo, mas, nunca antes desabafara, não sobre assuntos tão sérios, apenas fizera desabafinhos sobre coisas menos importantes, desabafos daqueles como fiz e que nunca fizera antes não mais voltarei a fazer, não mais incomodarei ombros ou braços.
Não mais…
…porque também não preciso…
…voltei a ser FORTE!
Eu sou apenas eu, e continuarei a ser um eu inigualável e sem partilhas.
Porquê?
Porque sou forte e em mim vive a força!

5 comentários:

Edu disse...

Voltas-te a ser forte? Será que o deixas-te de ser alguma vez?
Sempre foste forte, pelo menos comigo.
Mas ainda bem que te sentes mais confiante. Valeu a pena dar te na cabeça hahahah. bjinhos

Esmeralda disse...

Olá Edu, e bom ano!
A força a que me refiro nada tem a ver com o assunto plo qual me "davas na cabeça", esse assunto é tão pequenino comparado com o que desabafei com alguém numa tarde ha algum tempo.
Tão pequenino...
Mas, sim, voltei a ser forte, e esta força acompanha-me em todos os assuntos!
beijocas

Nocturno disse...

A força está dentro de nós


Beijo

Esmeralda disse...

Olá nocturno, obrigada pela visita.

Nem imaginas a força que descubro nas situações mais frágeis.
agarro-me a essa força todos os dias...

beijocas

Fragmentos Repartidos disse...

Todos nós temos o direito de fazer escolhas, desde que hajam as hipóteses, e da mesma maneira também temos o direito de errar.

Por vezes é preciso ser-se mais forte para ter coragem de desabafar com os outros, de usar o tal ombro como referias, do que para guardar aquilo que nos atormenta só para nós. Não querendo com isto dizer que suportar o peso de todos os nossos problemas e não invadir o espaço dos outros seja um sinal de fraqueza, antes pelo contrário, é um sinal de determinação e responsabilidade. A questão é saber avaliar aquilo que vamos dizer, a quem vamos dizer e porque vamos dizer... e isso nem sempre é fácil de fazer!

Um abraço.