Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

terça-feira, 17 de junho de 2008

Respeito...

Também mereço um bocadinho que seja de respeito…

1 comentário:

As Sombras de Fim do Dia disse...

Não é só um bocadinho, é todo o que houver e mais ainda!