Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Mudei!
Finalmente, renasci…
Finalmente voltei a rir e a gostar de mim…
Finalmente sorri com os olhos, sorri com a alma!
Já não me interessa perceber o que ainda não percebi, tenho a certeza que iria descobrir coisas muito sujas, que me iriam fazer sentir ainda mais nojo de mim.
Nada mais interessa!
Nada mais, não é bem assim, nada mais relacionado contigo, já não existes em mim.
Existes sim, memórias…
…memórias que irei combater até que as mãos da alma sangrem…
…memórias que irei esquecer, nem que para isso tenha que reinventar um passado que não o meu…
…memórias das quais me envergonho todos os dias quando acordo e penso:
- Que fui eu afinal nas mãos daquele homem? Fui um joguete, fui um brinquedo, comigo traiu, fui um dos objectos de traição a uma mulher esposa que decerto não merecia.
Todas as noites quando me deito peço para que não sonhe contigo de corpo inteiro ou alma inteira que seja, apenas não quero mais sonhar contigo.
Mudei, tornaste-te mais uma das minhas muitas lutas, luto para te esquecer e para apagar as memórias que ainda me transpiram pelos poros.
Mudei, renasci, sorri de novo ao perceber que afinal não desaprendera de rir.
Mas no fim, quando releio estas palavras, por ti sinto pena, pena de seres cobarde, pena de viveres no meio da farsa, pena por seres um infeliz. Acredita que não o penso com raiva, nada disso, até porque se me tivesses dito que não mais me querias, teria aceitado, respeitado a tua decisão, mas cobarde não o fizeste, preferiste fazer-me muito feliz para no dia seguinte me apagares a tua vida, deixando-me perdida sem saber se estavas vivo ou morto.
Fizeste-o por capricho.
O que fui afinal? Uma aposta, um jogo?
Teria sido tudo tão mais fácil, tão menos doloroso se um fim tivesse saído da tua boca.
Fui procurar-te, enfrentar-te para os meus medos enfrentar, fui em busca de uma explicação que passado 4 meses ainda não tinha sido explicada.
Que ouvi eu?
- Achei que te estavas a ligar demasiado a mim e preferi fazer as coisas assim para que não sofresses.
Desculpas esfarrapadas.
Por isto e por muito mais, que sabes muito bem ao que me refiro (até porque tenho uma leve suspeita que descobriste este blog) te digo, se algum dia por ironia nos cruzarmos, tem uma atitude de homem, atitude que nunca tiveste comigo desde Novembro de 2006.
E com isto me despeço definitivamente do homem que infelizmente AMO e ADORO, o homem que me mudou que me fez acreditar no amor e que por incrível que pareça me provou que não vale a pena amar.
Irei esquecer-te nem que seja a ultima coisa que faça, e se gostas um bocadinho que seja de ti, começa a sentir um pouco mais de respeito pelas mulheres, não as trates como lixo ou terás um futuro muito triste, sim triste, porque o dinheiro não compra afectos.
Apesar de tudo…
…fica bem, sê feliz.

22 comentários:

Chinha disse...

Sinto neste teu texto , muita amargura, uma alma muito magoada.
Uma história triste mas que muito acontece.
Pena não se conseguir mandar no coração para se poder apagar sentimentos...

Bjinhos e tenta sorrir novamente

marias disse...

Pensa no que escreveste aqui...
Percebo-te tão bem...por isso te digo esquece-o...não podemos amar um homem assim, que não merece o amor de ninguem porque só se ama a si próprio.
Esquece-o definitivamente, e não tenhas pena de o esquecer porque não te mereceu.
A melhor forma de amar alguém é deixá-lo ir!...
Mas nunca percas a autoestima e a dignidade e sê muito feliz!...
Há por aí muitos homens melhores que os que são como esse...e entendo-te e sei o que digo!

jinhos

poetaeusou . . . disse...

*
amiga
,
não se deve chamar homem,
a quem não respeita as mulheres...
,
ultrapassa-te . . .
,
conchinhas, envio-te . . .
,
*

Edu disse...

verdinha esmeralda nao te posso deixar uns dias que te começas logo a maguar. Deixa esse silencio que tanto te amou agora descansar em paz e em paz tenta tu tambem ficar .bju

Esmeralda disse...

Edu, vou começar por ti. Este silencio nunca me amou! Se me tivesse amado nunca me magoaria desta forma, porque este silencio sabia como eu funcionava, sabia que me magoaria menos ouvi-lo dizer acabou, mas mesmo sando disso preferiu magoar-me.

beijocas

Esmeralda disse...

Chinha, obrigada pelo apoio.
Eu já consigo sorrir de novo, daí ter escrito isto.

beijocas

Esmeralda disse...

Marias, concordo contigo, não ha maior prova de amor do que amar e deixar o nosso amor ir.
Foi o que fiz...
E agora, depois de ontem, depois de ter escrito este texto, deixei de ter pena de não sermos um apenas.

beijocas

Esmeralda disse...

Poeta, desculpa-me pelas palavras que deixei ontem no teu blog.
:)
Tens razão, pessoa que fez o que me fez, não pode ser chamado de homem...
...é simplesmente um cobarde, um triste e infeliz cobarde.

beijocas

Perla disse...

Esmeralda,
o tempo vai apagar tudo. Dá tempo ao tempo e procura ocupar o pensamento com outras coisas. Não forces nada.
Ah! e para esquecer um amor... só outro amor. Pensa nisso. Não vivas esses pensamentos.
Beijinhos

Esmeralda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Esmeralda disse...

Perla, ha muito que tento ocupar a mente com outras coisas, mas mesmo assim...
um dia, ha muitos anos decidi nunca querer beber o calice do amor nem da grande paixão, vivi durante muitos anos apenas de pequenitas e minusculas paixonetas, até ao dia em que esta personagem apareceu na minha vida, disse-lhe como funcionava e porquê.
Expliquei-lhe mas mesmo assim dizia-me a tua vida vai mudar, antes de mim e depois de mim.
Pedi-lhe que tal não fosse, mas ele cruelmente so ficou satisfeito quando me mudou.
Enquanto fui fruto proibido fui apetecida, assim que deixei de o ser perdi a piada.
Por tudo isto Perla, não quero um novo amor, não quero sofrer de novo.

beijocas e bigada plo apoio.

Anónimo disse...

Obrigada Esmeralda, obrigada por ter escrito por mim as palavras que pensei não ter coragem de ler!

Um beijo (e nunca mais deixe de ser quem é).

Multiolhares disse...

Existem muitos homens que pensam que o dinheiro é tudo, e fingem ter sentimentos sem os ter, mas no fundo só querem ser servidos, ter as pessoas como bonecos comandados ao seu serviço, pobres de espirito um dia vão acordar sozinhos sem quem lhes dê uma sede de agua

bjs

Esmeralda disse...

Por acaso eu e o Anónimo conecemo-nos?
Ter escrito por si palavras que não tinha coragem de ler ou de escrever?

Esmeralda disse...

Multiolhares, obrigada pela visita.
Pode crêr que é isso mesmo que irá acontecer, tal não acontecerá se quem falo acordar para a realidade antes que seja demasiado tarde.

beijocas

Esmeralda disse...

Voltando ainda ao Anónimo...

Anónimo se percebi bem a 2ª leitura que fiz ao seu comentário, afinal talvez (infelizmente) nos conheçamos. Quer dizer, se me conhecesse saberia que não tenho medo das palavras, elas não me assustam. Agora actos sujos, infantis, cruéis e com muita falta de carácter, esses sim magoam-me muito.
Bem vou encurtar as minhas preciosas palavras, até porque não sei se eu e o Anónimo nos conhecemos…
Se não nos conhecemos, até nem me importo de estar aqui a escrever, caso nos conheçamos, por favor, não irei perder o meu precioso tempo com tamanha pessoa.
P.S- se afinal nos conhecemos anónimo, acabou de cometer um erro crasso, despediu-se de mim com “Um Beijo”, de beijos seus quero é distância, sabe-se lá o que podem trazer já andaram por tantos sítios.

sininho disse...

Por muito que nos façam é necessário é ter coragem para alterar.. e necessário ter coragem para o mudar..

Esmeralda disse...

Sininho, confesso que até há bem pouco tempo pensava em tentar mudar o que me tinha acontecido e tentar mudar quem me fez tanto mal.
Acontece que acordei!!!
Nãh, não vale a pena, sou boa demais para um tal homem sem carácter.
Obrigada pela visita.
beijocas

Anónimo disse...

Esmeralda, acalme-se, sou apenas uma anónima, com pena de não a conhecer, porque admiro muito aquilo que escreve. Por coincidência parece que fomos as duas premiadas com o mesmo desfecho de relação. Daí o meu comentário...eu não descreveria melhor aquilo que me vai na alma.
Depois do mau estar que lhe causei, só psso deixar como consolo a partilha de sentimentos.

:)

Esmeralda disse...

Anónima...
Confusão desfeita! :)
Obrigada então pela visita e pelo apoio, claro.

beijocas

NOCTURNO disse...

Desabafo profundo, sensibilidade e muita mágoa, no final senti que te fez bem libertar as palavras que tens presas no coração.

Agora questiono?

"Será que é possível esquecer quem tanto se ama?"

Não... Claro que não...

Apenas guardamos dentro de nós esse grande amor e deixamos simplesmente adormecer, enquanto a vida passa.

Beijo Nocturno

Esmeralda disse...

Olá Nocturno:

Fez, fez.me muito bem soltar estas palvras um tanto ou quanto menos bonitas.
Fez-me muito bem!
E claro, claro que não o esquecerei, e se bem me conheço, nunca o irei esquecer. Tal como dizes, irei apenas deixar que tal sentimento adormeça num belo sono profundo.

Obrigada pela visita.

beijocas