Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Guardado em páginas de outono...

Desfiz-me em mil pedaços, cada um de sua cor e feitio…
Desfiz-me em mil pedaços, para me esquecer que um dia fui um pedaço apenas, uma alma completa sem vazios.
Lancei meus pedaços ao vento, juntamente com as palavras que lhe tenho lançado, lancei-os ao vento na esperança de que cada um deles, aventuras, amores e desamores, risos e sorrisos, sonhos e cores me trouxessem quando enfim os mil pedaços de cada cor e feitio se unissem de novo num pedaço apenas, aquele único pedaço de alma completa sem vazios.
Lancei-os quando me desfiz em pedaços…
Aventuras já viveram, alguém me contou…
Amores e desamores evitaram, já sabia que assim seria…
Sonhos e cores, herdaram isso do único pedaço….
Os mil pedaços de cada cor e feitio, ainda não regressaram, ainda não se completaram num único pedaço apenas, aquele com alma sem vazios. Não voltaram e não voltarão mais.
Desfiz-me, dividi-me para mais não ser alma completa sem vazios.

7 comentários:

Espelho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Espelho disse...

Olá

Não há cura para a dor que vem de dentro. São pedaços de mim espalhados pelo chão misturados nas gotas de gelo que congelam a alma.

Tal como tu entreguei o meu sentir ao vento.

Beijo

Edu disse...

SAbes como eu nasci nessa estação adoro-a mais que qq outra. E percebi o porque. Essas tais folhas que deixas-te ir ao vento , folhas secas e ja mortas , vao acabar por ser o vai alimentar outros rebentos no futuro. Tal como na natureza tambem a nossa vida corre em estações. Que essas folhas te sirvam para suporte de algo bem melhor no futuro.
Beijo

Arménia Baptista disse...

Esses bocadinhos todos, com o tempo, ficarão um todo para refazer uma alma grande!!!!!...
bjs

poetaeusou . . . disse...

*
deixa-me pensar,
que os teus pedaços,
são os atomos da tua energia,
energia que deves manter . . .
*
VOLTEI . . .
,
alentado me sinto
com a tua visita,
,
navego,
no mar do contentamento,
espumando sophia,
entre o sal de pessoa
e a fenda de redol . . .
,
vagas de gratidão, deixo-te,
,
*

Maria, Simplesmente disse...

Os pedaços que espalhamos e o vento leva já não voltam mais, porque se voltassem seriamos outra vez aquilo que fomos e não teríamos as recordações que nos ajudam a viver.
Que pessoas seríamos?
Eu gosto de sentir que muito de mim se encontra espalhado por onde vivi... por onde andei.
Maria

Esmeralda disse...

Maria, Simplesmente:

Não sei que pessoa seria, mas, preferia viver sem estas recordações...

Obrigada pela visita.
Beijocas