Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

terça-feira, 28 de abril de 2009

Mudei-me de uma casinha para uma torre.
Torre fortificada por dentro e por fora…
Habitante de defesas e ataques defensivos.
Habitante de um mundo impossível de alcançar, habitante de uma torre impossível de derrubar, habitante de muralhas impossíveis de penetrar.
Mudei-me…
…deixei para trás sentimentos, pessoas, tesouros de um único amor.
Vivo agora apenas para viver.
Nada mais me irá abater.
Nada mais me irá entristecer, pois vivo apenas para viver.
Esqueço para me fazer esquecer…
…sou esquecida para me fazerem esquecer.
Do alto da minha torre, penso muitas vezes em lançar muralhas abaixo a minha trança de Rapunzel, tentando em escassos minutos fazer-me relembrar.
Mas não!!!
Não tenho trança, nem sou a Rapunzel…
Não tenho príncipe, nem sou a Rapunzel…
Não tenho quem se lembre de mim, porque não sou a Rapunzel!
De Rapunzel tenho somente a torre, aquela que me protege, aquela onde me protejo de sentimentos, de pessoas, do passado ainda que presente, e de um amor que ainda sinto.
Lá bem do alto, avisto campos verdejantes, avisto passáros de todas as cores que me visitam pela manhã, avisto gente que vem e que vai; avisto um mundo que num frenesim vive, respira, sente…
E eu sinto?
Sinto!
Sinto o que não quero sentir…
Sinto o que não devo nem posso sentir…
Sinto sentires que me sufocam…
Sinto as decisões que me pesam em vez de me tornarem leve feito passáros que pela manhã me convidam a voar céu fora…
E eu sinto?
Sinto!
Não quero sentir, quero apenas ficar segura, esconder-me na minha torre…
Não quero sentir, sentir doí, não quero mais dor…
…quero apenas viver para viver, sem sequer saber que ainda te AMO, que ainda te ADORO como da primeira vez num tempo que não nos pertencia o dissemos um ao outro num momento de atrofio.
E eu sinto?
Não quero mais sentir!
Do alto da minha torre, quero apenas saber que não vejo a casa onde deixei para trás sentimentos, pessoas, tesouros de um único amor.
Do alto da minha torre de Rapunzel, quero apenas viver para viver.

12 comentários:

Angel disse...

Nem sempre é bom fecharmo-mos numa torre e tentar fugir do mundo...lá fora continuam os mesmo sentires e emoçoes..é importante por para trás o que nos fere..espero que isso consigas..gostei do teu texto passei para desejar um dia cheio de Sonhos..

Esmeralda disse...

Obrigada Angel...
beijocas

Arménia Baptista disse...

...Aproveite que está na torre, para ver a vida de "cima"...
Nota-se por aí algumas contradições... mas a vida é mesmo assim... :))
um abraço

Esmeralda disse...

Olá Arménia...
Muitas contradições sim.

beijocas

Vento disse...

Do outro lado do Castelo estou na outra torre e sinto-me bem com o silêncio que a envolve...

Beijo

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

O mar me ultrapassa.
Mas ondas haverão de contar
Aos ouvidos que lá pousarem
Que um dia sonhei no mar.

O céu não vai se importar
Quando eu monge de meu hábito partir.
Mas estrelas enquanto restarem
Hão de lembrar
Que um dia me puseram feliz.

A terra , é fato, há de me subtrair.
Mas a árvore que me deitou raiz
E as cores
Que em meu tempo colhi
Estas eu levo comigo
Ninguém há de tirá-las de mim.

Fernando Campanella

Desejo um lindo final de semana com muito amor e carinho
Abraços Eduardo Poisl

Esmeralda disse...

Vento:
De que te escondes tu'
De que foges tu?

beijocas

maria disse...

viver apenas para viver

abraços

Edu disse...

com uns peixinhos ficava ainda melhor, loool. Vou te fazer comprar vais ver loool.
Ainda bem que te vejo escrever e com algo no teu interior que me da esperanças que essa tua nova vida vai ser bem melhor.
bju

Esmeralda disse...

Eduzinho...
ehehehehe
Peixinhos não, tlv quando tiver a minha própria casa lhe dê então um toque romantico com um mega aquario cheio de luz e cor.

beijocas

Secreta disse...

Viver para viver ... se for com o verdadeiro sentido da palavra, não importa onde estejas , mas sim que vivas!
Beijito.

Multiolhares disse...

Por vezes fechamos-nos em castelos, até é bom para nos entendermos, mas depois devemos abrir bem as janelas e gritar que somos livres
beijos