Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Como é possível?
Sim, como é possível ainda me sentir assim…
Como é possível ao fim de tantos dias, tantos meses sem o ver, sem lhe falar, sem nada dele saber, ainda o amar, ainda sonhar de corpo inteiro com aquele que é sem dúvida a minha cara-metade.
Como é possível?
Terei parado de lutar cedo de mais, terei feito algo de errado?
Ele gostou, ele gostava de mim…
…eu sei.
Ele amava-me, ele adorava-me…
…eu sentia, eu sinto.
Como é possível?
Sou uma mulher apaixonada, ainda, sou uma mulher que ama, ainda, mas sou também uma mulher que sente ódio e raiva, não por quem ama, mas por saber agora, sim agora, que nada mais há a fazer, que o tempo não volta e que nunca mais o irá ver.
Sou também uma mulher que embora muito, ainda, apaixonada, apesar do tempo que passou e que passa sem que o possa parar, olha o mundo, o seu mundo com um outro olhar.
Será que se não me tivesse deixado, será que se estivesse com ele agora, tinha tido força e coragem para mudar completamente a minha vida e a vida daqueles que comigo estão?
Será que, se tivesse mudado o meu rumo, fazendo-me caminhar na sua direcção, teria tido força e coragem para abandonar o castelo do terror em que vivi durante 30 anos?
Será que se ainda fossemos “um”, conseguiria tirar o meu pilar daquela vida miserável onde se encontrava?
Será???
Não…
Saí do castelo dos horrores, mudei-me para uma vida nova, eu e o meu pilar estamos a recomeçar, não tenho a idade que tenho, sou agora um bebé que tenta refazer toda uma vida recomeçando do zero.
Mesmo que para isso, para proporcionar a uma grande Mulher uma nova vida, tenha que abdicar dos meus sonhos, tenha que abdicar de uma grande parte de mim, tenha que abdicar de muita coisa…
Abdico, mas sem gritos, sem berros, sem agressões, sem pesadelos nocturnos e diurnos, sem medo, abdico da vida a favor de uma noite inteira de sono.
No meio desde abismo todo em que me via metida, ainda me espanto como consegui lutar por ele como lutei, talvez por viver neste abismo não lhe tenha dado tudo o que queria, não tenha tido poderes suficientes para caminhar para ele sempre que queria, sempre que queríamos, talvez…
Perdi-o…
Perdi-o para sempre!
É agora feliz, agora tem alguém a seu lado que o ama e que por ele lutou…
E eu?
Eu ainda o amo, a raiva que sinto, o ódio que me atormenta é precisamente por amar desmedidamente mesmo sabendo que eu estou aqui lutando para me reerguer de uma vida inteira de falhanços e medos, e ele está lá amando e a ser amado.
E o tempo vai passando e a minha ferida não sara, mesmo apoiando-se em dor e ódio, em raiva e rancor, a minha ferida não seca.
E eu?
Nunca mais o irei ver…

8 comentários:

Vento disse...

Um relato duma vida, um dia quando menos esperares o sol brilhará...

Beijo

Sonia Schmorantz disse...

Carinho é plumagem bonita, macia, gostosa de sentir.
Quem dá afeto se fortifica; quem o recebe se acalma,
se tranqüiliza, se equilibra.

Um ótimo final de semana, com muito carinho.
Abraço

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

A Amizade é...
O mais nobre dos sentimentos,
Cresce à sombra do desinteresse,
Nutre-se brindando-se e floresce
a cada dia com a compreensão.

Seu lugar está junto ao amor
Porque ela é também amor.
Somente os honestos podem
ter amigos, porque à amizade,
o mais leve dos cálculos a fere.

Como é um bem reservado aos
eleitos, é o sentimento mais
incompreendido e o pior interpretado.
Não admite sombras nem fingimentos,
rusticidade nem renúncias.

Exige no entanto sacrifício e coragem,
compreensão e verdade,
VERDADE! acima de todas as coisas.

Com as pequenas coisas
do dia a dia
cresce nossa amizade.
Desejo que sempre seja assim.

(Desconhecido)


Te desejo um final de semana com muitos amigos,amor e paz
Abraços do amigo Eduardo Poisl

Esmeralda disse...

Vento, somos nós que fazemos com que o sol brilhe, e acredita, que faço tudo por tudo para que um dos raios deste tão grande sol me ilumine, me aqueça e me seque a alma.

beijocas

Edu disse...

Pois , raiva , odio, rancor , o certo e k continuas a pensar nisso...força amiga esvaia te disso, não te faz falta enhuma mesmo.
bjinho

Esmeralda disse...

Obrigada Edu...

Secreta disse...

Sentimentos tão contraditórios e que andam tantas vezes juntos! Sinto-os também , amor ... ódio ... raiva ... e consequentemente dor!
...
Beijito.

Sunshine disse...

O tempo faz milagres. Sei que é uma frase feita que vem da sabedoria popular e esta traz-nos muitas pérolas.
Passei pelo que descreves: incrdulidade, desespero, raiva, culpabilização...enfim.
O tempo foi passando ( e enquanto ele passa custa tanto) e estes sentimentos foram-se alterando. Hoje o sol brilha na minha casa. O Vento tem razão: o mesmo irá acontecer contigo.
beijinhos com raios de sol