Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

terça-feira, 2 de junho de 2009

O caminho da liberdade chegou por fim.
A raiva, a dor e o rancor, aliaram-se ao meu inteiro ser nesta luta desmedida por esquecer…
…esquecer quem um dia amei mais do que a mim me amo.
O desprezo que me deram, a insignificância com que me trataram, faziam-me lutar por um lugar, mesmo pequenino que fosse, no coração de quem (achava eu) me merecia.
Mas não me merecia!
Mas não me merece!
Nem nunca me merecerá!
Descobri que sou linda…
…linda no olhar cor verde esmeralda…
…linda quando toco e acarinho aqueles que se encontram mais tristes que eu…
…linda quando sorrio e ilumino olhares cabisbaixos…
…linda quando luto por causas perdidas sem nunca me vergar à dor…
…linda quando ganho batalhas impossíveis de vencer…
…lindo quando choro por fora e sorrio por dentro…
…linda quando choro de corpo e alma…
…linda quando combato desmedidamente os piores defeitos que albergo em mim…
…linda até, quando me esqueço de mim.
O caminho da liberdade chegou por fim…
…por ele caminharei devagar sem me apressar, não vá o destino, o cruel destino passar a perna a estas minhas passadas guerreiras.
Por ele andarei feito andarilho, farei deste meu caminho esburacado e irregular, uma estrada plana e direita, direita rumo à liberdade de não mais o amar.
Amar-me-ei a mim e a todas as minhas lutas, glórias e conquistas, tal qual como me amava e as amava antes de o conhecer, antes de o ouvir dizer “princesa, a tua vida vai mudar: antes de mim, depois de mim…”
Mudou sim, durante um pequeno grande espaço de tempo, agora, sim agora, caminhando rumo à liberdade de não mais o amar, volto a ser o que era…
…linda, guerreira, e com um único principio…
O caminho da liberdade chegou por fim…
…caminharei por ele a direito sem medo de numa ou outra encruzilhada o encontrar, pois o amor que por ele sentia não tarda terminará.

6 comentários:

Multiolhares disse...

Caminha por esse trilho de mulher guerreira, pois és linda sim, linda quando te amas.

Namastê

Vento disse...

Aqui sempre do teu lado para confirmar o quanto és bela.

Beijo de quem gosta de ti

Esmeralda disse...

Multiolhares...
...muito, mas muito obrigada!

beijocas

Esmeralda disse...

Vento, mais uma vez palavras lindas as que me deixas.
Obrigada!
Mas...
...como se pode confirmar a beleza de alguém que não se conhece?

beijocas

Sonia Schmorantz disse...

"Conte a sua história ao vento,
Cante aos mares para os muitos marujos;
cujos olhos são faróis sujos e sem brilho.
Escreva no asfalto com sangue,
Grite bem alto a sua história antes que ela seja varrida na manhã seguinte pelos garis.
Abra seu peito em direção dos canhões,
Suba nos tanques de Pequim,
Derrube os muros de Berlim,
Destrua as catedrais de Paris.
Defenda a sua palavra,
A vida não vale nada se você não
viver uma boa história pra contar."
(Pedro Bial)

Na impossibilidade de entrar em detalhes, como eu gostaria imensamente como todos amigos que tenho, venho trazer um pouco de poesia e desejar que seu domingo, sua nova semana seja de mil cores, que tenhas muitas alegrias!

Um abraço

Sônia

Claudia Martins disse...

revi-me nessas palavras... quantas vezes nos esquecemos de nós para olharmos o outro? e quantas vezes o outro nos despreza, desvaloriza, mesmo sabendo que estamos sempre lá? O importante é nunca deixarmos de acreditar em nós e sabermos mudar de rumo mesmo que haja lágrimas.. o caminho da liberdade pode não ser fácil mas é sempre uma boa conquista quando quem temos ao lado não faz por merecer essa companhia! parabéns pelo texto