Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Coisas antigas com sabor a sal...

A impossibilidade do possível...

«Com o tempo, percebemos que para ser feliz com uma outra pessoa, precisamos, em primeiro lugar, não precisar dela.»
«No final de contas, encontramos não quem estávamos procurando, mas quem estava procurando por nos!»
Ontem li estas duas frases, arrepiei-me…
…parecia que estava a ler o horóscopo comentando logo a seguir: “ e não é que bate certo”.
Mas não era o meu signo, eram citações de alguém, citações do mundo, que se adaptam à minha vida, à tua, à de fulano e de sicrano.
Palavras reais num contexto meramente irreal mas que no fundo transmitem toda e uma única veracidade: a impossibilidade do possível.


Ano novo, vida nova...

Ainda faltam uns dias, mas há preparativos que não podem ser descurados. Os meus já andam a ser planeados há alguns meses, com algumas tentativas frustradas p’lo meio, mas enfim…
…há que ganhar coragem, para se fazer o que deve ser feito.
Desprendimento total!
Há que ser prática:
Cortar com laços que na realidade nunca existiram;
Reerguer-me de uma panóplia de frases soltas e actos pontuais sem fundamento;
Pegar na bússola, orientar-me e sair de caminhos tortuosos e enganadores;
Apagar definitivamente qualquer tipo de vestígio…
Cresci!!!!!
Crescerei ainda mais!!!!
Porquê?
Porque estou a começar a amar-me novamente!
Fui….



Sem comentários: