Quem fui, quem sou, quem serei...

De cor verde-esmeralda são os olhos de quem chora, de quem ri, de quem sonha. De quem espera pelo inesperado. De quem sabe que não há impossíveis, mas que acredita na impossibilidade do possível. Na cor verde-esmeralda, habita um presente cinzento e um futuro cintilante. Filha do vento e da brisa, inconstante. Filha da brisa e do vento…

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Éramos dois sapos…
…um sapo sabido e uma sapinha metida a esperta.
Beijámo-nos…
…tornámo-nos príncipe e princesa.
Beijámo-nos…
…beijámo-nos…
Apaixonámo-nos…
Amei!
Beijámo-nos…
De novo sapinha me tornei...

Aquele sapo, o meu príncipe, mesmo que não seja meu, para sempre príncipe será.
Para sempre!

6 comentários:

Edu disse...

va-la os sapos sao verdes. gosto de verde como sabes. agora princepes...que se lixem.

Espelho disse...

E assim nasceu o amor eterno.

Beijo

Esmeralda disse...

Edu, os principes até se podem lixar...
Mas este, mesmo não sendo meu, peço por ele ao senhor destino, peço à menina fada que o guarde, e ao joão pestana que o embale e lhe vele o sono.
É um principe, mesmo não sendo meu...

beijocas

Esmeralda disse...

Espelho:
E assim nasceu o amor...
E assim nasceu o amor eterno!

poetaeusou . . . disse...

*
fui beijado e beijei,
em sapo me tornei,
onde errei ?
não sei ?
,
conchinhos de amizade, deixo,
,
*

Esmeralda disse...

Poeta:
Fui beijada, e errei, errei muito, mas mais erraram comigo...

beijocas